Instrumentos de precisão

01/06/2022

Instrumentos para medição de alta precisão são sistemas de medição eletrônicos, que transformam a pressão em um sinal elétrico possibilitando a sua visualização. Acompanhe a leitura e entenda um pouco mais sobre instrumentos de precisão.

Instrumentos de medição

Os instrumentos de medição estão presentes em diversos estabelecimentos, sempre com a necessidade de se mostrarem impecáveis. É fundamental que estejam devidamente calibrados, respeitando os padrões determinados pelos órgãos regulamentadores. Isso garante a excelência no segmento, seja ele comercial, seja de prestação de serviços.

Boas rotinas de manutenção e de calibração são necessário para garantir que os equipamentos estejam funcionando em sua potencialidade máxima. Erros de medições podem gerar impactos imensuráveis para empresas e consumidores.

A importância da precisão

A precisão e exatidão são fundamentais para que o equipamento mostre informações confiáveis. Na prática, isso significa que as empresas devem ter um cuidado rotineiro com a manutenção dos instrumentos. Só isso garante que eles sejam capazes de detectar o peso certo, o que é algo que vai além do respeito com o consumidor.

O impacto negativo de instrumentos desajustados

 Apesar de ser algo natural, quanto maior o desvio do equipamento em relação à um padrão de referência, maior serão os problemas que uma empresa pode ter. Por exemplo: prejuízos financeiros por conta de desperdícios de material e multas de fiscalização.

Se o instrumento de precisão não está calibrado, as empresas podem mandar ao mercado produtos errados e que não tenham a confiabilidade necessária.

É responsabilidade das empresas garantir a confiabilidade metrológica de seus equipamentos, garantindo que o resultado apresentado em uma medição esteja de fato confiável.

A frequência ideal para a rotina de calibração

Manter uma frequência de manutenção e calibração é o que faz diferença para que os instrumentos de medição sigam relevantes. Isso garante que a variação seja reduzida ao máximo, dando a certeza de que o equipamento está funcionando de maneira confiável.

Por mais que seja necessário definir uma rotina, não há um padrão preestabelecido. É importante avaliar alguns fatores, como:

  • modelo do instrumento de medição;
  • ano de fabricação;
  • frequência de uso;
  • recomendação do fabricante;
  • condições do ambiente;
  • nível de treinamento de utilização do usuário;
  • comparação de resultados com instrumentos similares;
  • tolerância e/ou criticidade do processo;
  • variação dos resultados em comparação às calibrações anteriores;
  • frequência de verificações ou controle do instrumento com padrão de referência.

Ao avaliar cada um desses pontos, reforçando o acompanhamento periódico com um padrão adequado e calibrado, é possível identificar por quanto tempo o instrumento apresenta resultados em conformidade com as tolerâncias exigidas em um determinado processo. E com isso, definir a frequência ideal de manutenção preventiva e calibração para cada instrumento.

Gostou de saber mais sobre instrumentos de precisão? Continue seguindo nosso blog.

Leia também

Trocadores de calor industriais

Trocadores de calor industriais

Desde a pré história o homem se preocupou em trocar calor, criando dispositivos então rudimentares que permitiam o...

Teste de cargas para geradores

Teste de cargas para geradores

Quando se fala em teste de carga, tenha em mente que pode ser de dois tipos: teste de carga de obra e teste de carga...

Fabricação de calhas

Fabricação de calhas

Pode até soar estranho, mas a fabricação de calhas também é um ramo da usinagem, e envolve caldeiraria leve (as vezes...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe!