Quais os cuidados necessários para operar torno e fresadora?

14/07/2020

Vamos combinar uma coisa? Primeiro vamos aprender o que é um torno e o que é uma fresa, ou máquina fresadora, ok? Depois vamos descobrir os cuidados necessários para operar estes dois instrumentos.

O torno mecânico é uma máquina-ferramenta, denominada operatriz, que permite usinar peças de forma geométrica de revolução, ou seja, cortá-la e moldá-la em formato esférico. O torno fará a peça girar sobre um cabeçote, removendo material (o cavaco) até que a peça atinja as especificações adequadas.

Esta máquina é responsável, geralmente, pelo acabamento de peças e é bastante versátil, possibilitando a usinagem de componentes mecânicos, decompõe material em estado bruto e as transforma em peças de formato circular.

A máquina fresadora, ou simplesmente “fresadora”, molda, perfura e roteia a peça, geralmente metais, mas também pode ser utilizada para moldagem de outros sólidos.

Ela se dá super bem na formatação de superfícies planas e irregulares e também produz engrenagens de corte e produção de ranhuras. Há as fresadoras verticais e horizontais, e você terá que saber qual delas irá precisar na hora da usinagem da peça que necessita produzir, reparar ou otimizar.

A fresadora vertical possui um fuso que se move em paralelo ao seu próprio eixo enquanto a mesa lhe permanece plana e perpendicular (por isso o nome “vertical”). O fuso fica imóvel no moinho de corte e é a mesa que se move nas direções perpendiculares às verticais como eixo do fuso. Ele é menor, mas é mais versátil.

Na fresadora horizontal, os moinhos têm cortadores montados horizontalmente em um mandril ao redor da mesa, alimentando as peças a serem moldadas a partir de três eixos.

Esta máquina operatriz geralmente é utilizada no corte final e facial, mais fino e rebuscado, mas também mais lento por conta do know how necessário para operar seus controles mais minuciosos e específicos.

Atenção: evite riscos desnecessários!

Para o bom funcionamento das máquinas, seja o torno ou a fresadora, o primeiro ponto é preparar e estudar uma lista recomendada pelo fabricante de taxas de alimentação, a fim de que estas operatrizes não sejam submetidas a esforços excessivos, entrando em pane as vezes durante seu funcionamento – o que acarreta sempre riscos ao caldeireiro.

E operar estas máquinas representa risco, porque elas possuem partes que se movem automaticamente, tanto no sentido horizontal quanto vertical, em rotação as vezes elevada, fomentando acidentes que podem e devem ser evitados. O uso de EPIS em toda atividade com equipamentos que redunde em risco para o trabalhador é sempre obrigatório.

O tipo do EPI dependerá do tipo de máquina e de risco, mas se consolidaram alguns equipamentos sempre usados por operadores de fresadeiras e tornos: óculos de proteção, sapatos especiais com sola antiderrapante ou botas com mesmo tipo de solado, protetor auricular, abafadores e avental.

Leia também

Trocadores de calor industriais

Trocadores de calor industriais

Desde a pré história o homem se preocupou em trocar calor, criando dispositivos então rudimentares que permitiam o...

Teste de cargas para geradores

Teste de cargas para geradores

Quando se fala em teste de carga, tenha em mente que pode ser de dois tipos: teste de carga de obra e teste de carga...

Fabricação de calhas

Fabricação de calhas

Pode até soar estranho, mas a fabricação de calhas também é um ramo da usinagem, e envolve caldeiraria leve (as vezes...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Compartilhe!