Você sabe o que significa memória de cálculo?

04/03/2021

              Falou em projeto, seja de construção civil, seja de peça industrial a ser trabalhada em caldeiraria e usinagem, há a evidente necessidade de um projeto técnico-matemático, de proporções e valores. E, é claro, ele deve ser aprovado ou não para que possa ser executado em seguida.
              Este “projeto”, ou parte dele, é a memória de cálculo, ou memorial de cálculo. É um documento, um laudo, que acompanha o projeto principal, seja ele de construção civil ou de usinagem industrial, criação ou reparo de peças para a indústria. O memorial de cálculo pormenoriza, explica detalhadamente todos os cálculos necessários para que se chegue ao resultado final do projeto: seja uma peça, uma linha de produção, uma construção.
              Os números estudados e expostos no memorial de cálculo referem-se à estrutura, dimensão, custos – e são indispensáveis à uma proposta técnica, principalmente se esta proposta vai concorrer em um certame de licitação ou vai ser submetida ao cliente para aprovação prévia.
O memorial deverá ser em formato analógico e impresso e por meio digital. A plataforma preferida para este meio é a planilha Excel e é bom que se frise que o memorial é um projeto, e o projeto é uma proposta – e a proposta obriga o proponente. Portanto, todos os cálculos devem ser precisos porque, se aprovados, deverão estar prontos para a execução e o resultado obtido deverá ser fidedigno àquele projetado.
O memorial de cálculo é um apêndice anexo ao projeto técnico e estrutural da obra/construção/criação e assim se torna seu dependente, o que é óbvio: os cálculos se referem ao produto a ser realizado.  
Há entendimentos técnicos que embasam a ausência de necessidade de memoriais de cálculo em todo e qualquer projeto, principalmente naqueles relacionados com as estruturas da construção civil, que por si só já preveem dimensões, valores, pesos… Enfim, os números que seriam previstos no memorial. No entanto, é sempre mais seguro e correto que o laudo contábil/discricionário do projeto esteja em documento autônomo.

Gostou desse texto? Continue seguindo nosso blog

Leia também

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe!